Rota Ecológica

Costa do charme
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

São Miguel dos Milagres entrou no meu mapa em 2000, por acaso. Estava em Maceió e vi num jornal local uma pequena reportagem sobre uma pousada que tinha acabado de abrir. Procurando novidades para o meu guia Freire's, cheguei -- anonimamente e sem reservar -- numa tarde chuvosa. A pousada estava fechada; o dono tinha ido para Maceió. Mas gostei do que vi e disse para o faxineiro que voltaria no dia seguinte. A manhã veio ensolarada, o dono tinha voltado à pousada, me hospedei, caminhei pela praia na maré baixa, cruzei com uma turminha do jardim de infância brincando junto aos barquinhos ilhados na areia, jantei filé de arraia com uma salada de rúcula e tomatinho cereja cultivados na horta.

Sem querer, tinha descoberto um tesouro ainda desconhecido até mesmo em Alagoas: 40 km de praias lindas e desertas, protegidas da curiosidade alheia por fazendas de coco e pela estradinha precária, interrompida por uma travessia de balsa que impedia o caminho de se tornar um atalho para Maragogi, e assim preservava povoados que pareciam saídos d'O Bem Amado. No fim da estradinha, em Japaratinga, vi uma placa de um hotel tentando atrair passantes que vinham do norte: "Conheça a Rota Ecológica". Rota Ecológica? Resolvi adotar.

No mês seguinte, resenhei a região e a pousada na minha coluna na revista Exame Vip. O texto começava assim: "Sabe aquela praia que só você conhece, onde tem a pousadinha do Fulano que você só indica para os amigos mais chegados? Pois a praia se chama São Miguel dos Milagres, o fulano atende por Nilo e o nome da pousadinha é Pousada do Toque". Ao receber o primeiro telefonema, de um leitor de Brasília, o Nilo achou que fosse trote. Os hóspedes que vieram gostaram. Alguns gostaram tanto que resolveram abrir pousadas por lá. Em cinco anos, a Rota se tornou um pólo de hospedagem de charme pé na areia.

Uma década e meia depois daquela surpreendente salada de rúcula no fim do mundo, São Miguel dos Milagres e a Rota Ecológica não são mais um segredo. Cinco anos de Réveillons baladíssimos (o Réveillon dos Milagres) e reportagens de Luciano Huck, Fátima Bernardes e Ana Maria Braga compartilharam as belezas da região com outros públicos. Novas opções de hospedagem surgem, agora acompanhadas por uma onda de restaurantes e bares funcionando fora das pousadas.

Rota Ecológica: quando dá praia?


Com exceção de um loteamento cada vez mais recheado de casas na praia do Patacho, porém, pouca coisa mudou. A dificuldade de acesso e a falta de estrutura para o turismo de massa ainda afastam as multidões. Hospede-se à beira-mar e você vai curtir uma praia muito parecida com as que me deslumbraram em 2000.

Venha -- e fique. Um bate-volta desde Maceió (ou Maragogi, ou Porto de Galinhas) não vai revelar o que a região tem de especial, que é o convite a relaxar e não fazer nada por dias a fio, comendo muito bem e sendo atendido com uma simpatia difícil de achar em outro lugar.

Só tem uma coisa. O Viaje na Viagem adverte: depois de passar uma temporada na Rota Ecológica, é difícil se apaixonar perdidamente por outra praia.

108 comentários

Renata
RenataPermalinkResponder

Olá, pretendo conhecer o lugar em março, mas não sei qual a melhor forma de chegar. Saio de BH. Pode me ajudar? Obrigada.

betina milliet

Olá, tenho 10 dias para fazer a rota ecológica - estou indo com marido de filho de 3 anos.
chegamos e partimos por maceió.
por isso, minha questão é:
-> irmos direto para o nannai (4 dias) e o restante (6 dias) em são miguel dos milagres.
acha válido dividir desta maneira?
ou vc ficaria apenas por são miguel de maragogi?
o que acha melhor?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bettina! Todas as opções são boas. Você é que sabe quanto tempo gosta de ficar num mesmo lugar. Eu poderia morar em São Miguel dos Milagres, se me deixassem. Mas tem gente que fica dois dias e quer ir para outro lugar. Cada um é cada um.

Dario de Souza Ribeiro

oi Ricardo! há disponibilidade de transporte para quem ficar 7 dias na reigão da Rota Ecológica? É que pretendo viajar para lá sem automóvel...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ricardo! Quem responde é a Bóia. Há passeios de bugue. Tem táxi. Mas não existe a menor necessidade de sair da sua praia. Só zanza pela rota quem não tem a privilégio de estar hospedado lá.

Carol Borges
Carol BorgesPermalinkResponder

Bom dia! Estou passando a minha primeira (espero que sejam muitas!) temporada na Rota Ecológica. Obrigada por todas as dicas! Para os leitores do Viaje no Viagem é uma emoção estar aqui, almoçamos o peixe na panela de ferro na Pousada do Toque e eu podia ouvir na minha cabeça todos os posts sobre esse lugar incrível! Realmente vai ser difícil se apaixonar por outra praia e não querer voltar todos os anos pra cá! Aproveito para dar uma dica de onde comer que ainda não vi no post: Patrícia Bistrô, da chef Patrícia Possas. Comida maravilhosa em um jardim super simpático bem perto da igrejinha de Porto da Rua. Ambiente aconchegante, comida deliciosa. Quem estiver na dúvida de vir para Alagoas não pense duas vezes! Delícia de viagem!

Elverson
ElversonPermalinkResponder

Olá;
Li no post que vc recomenda não ficar zanzando, porém não tenho opção.
o que me recomenda em dois dias na rota ecológica??

Desde já agradeço...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Elverson! Recomendamos escolher uma pousada e curtir. Se você quiser fazer os passeios de bugue que agora existem por lá, faça, mas é uma farofagem e impedem que você curta o melhor da Rota, que é o descanso e a praia rente à sua pousada. (Na verdade, se essa é a sua intenção, é melhor nem se hospedar por lá, venha numa das excursões de Maceió para passar o dia.)

Marcia bueno
Marcia buenoPermalinkResponder

Olá!!!Obrigada por compartilhar tanta informação BOA!!Estava animada para ir para Maceio até Maragogi em Abril/20, mas pela previsão de chuvas, acho que mudarei para Ilha Grande.Ou você acha, que posso arriscar Maceio/Maragogi???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcia! Maio e junho são os meses mais chuvosos na região.

LIGIA DE FATIMA NOBREGA REATO

Estamos pretendendo ir para a região no final do ano. Não queremos ficar no agito e sim sossegar e aproveitar as belezas naturais como sugerido no site. Vimos duas pousadas charmosas, uma em Boqueirão, Japaratinga e a outra na praia do Camacho, mais próximo de São Miguel. Gostaria de ter informações a respeito dessas praias - são boas? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ligia! Camacho já está em Maragogi. É uma praia tranqüila, ao sul do centro.

LIGIA DE FATIMA N REATO

Lendo todas as orientações interessantes postadas aqui, estamos revendo nosso roteiro. Chamou a atenção a importância de escolher bem o local pra curtir a praia e não ficar se deslocando. Como para nós o mais importante é a praia, gostaríamos de saber mais informações a respeito da praia de Patacho. Nossa preferência é que seja tranquila, sem muita gente e boa para banho de mar

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ligia! Achamos a Praia da Laje e a Praia do Toque melhores para banho.

Vera Hintze
Vera HintzePermalinkResponder

Recomendo a pousada reserva do patacho que é maravilhosa. o serviço é excelente tudo muito cuidado, limpo,. Café da manhã e a lá carte e muito gostoso. Estou aqui até 11/11/2020

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Atenção: Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 23 de novembro.
Cancelar